Harmonização facial

Procedimento é indicado para corrigir pequenas imperfeições e reduzir a ação do envelhecimento
A combinação de procedimentos estéticos com a finalidade de melhorar o aspecto global do rosto, definindo traços e contornos, tratando o envelhecimento e corrigindo falhas ou imperfeições que deixam o paciente insatisfeito com sua própria aparência ficou famosa pelo nome de “harmonização facial”. Entre os procedimentos que são oferecidos na harmonização estão a aplicação de toxina botulínica, o uso de preenchedores – como o ácido hialurônico, por exemplo – além do peeling, o microagulhamento, entre outros. “Este é um trabalho em conjunto na face para potencializar resultados, proporcionando correção de ângulos da face, depressões, cicatrizes, manchas, mas principalmente valorizando o contorno, colaborando para minimizar efeitos da perda da elasticidade da pele, bem como a queda dos tecidos e redução de gordura. Também melhora a aparência de olheiras e bolsas abaixo dos olhos, define o médico Ademir Viana.
Entre as maiores queixas estão a flacidez, relatada principalmente pelas mulheres acima dos 40 anos. Os tratamentos mais indicados, nesse caso, são a combinação de toxina botulínica e preenchedores. “A toxina trata as rugas dinâmicas e os temidos pés de galinha. Já os preenchedores são indicados para mascarar a perda de coxins gordurosos da face e a reabsorção óssea que ocorre com o passar dos anos, gerando perda de contornos faciais e promovendo a queda de algumas estruturas. A intenção é proporcionar um preenchimento de aspecto natural, proporcionando uma aparência rejuvenescida, sem excessos”.
É importante ressaltar que, para que melhores resultados, os pacientes devem zelar pelos cuidados faciais ao longo da vida. “A pessoa deve utilizar um bom protetor solar, tomar a quantidade adequada de água e ter um estilo de vida saudável para preservar a saúde da pele. Além disso, diversos procedimentos podem ser utilizados a partir da terceira década de vida para incentivar a produção de colágeno e prevenir o aparecimento de rugas estáticas”, explica.
“A harmonização é indicada para casos discretos de queda tecidual e perda de gordura. Quando há excessos de queda de pele, nem sempre a harmonização será suficiente. Para casos mais severos, pode haver a indicação da cirurgia plástica, que pode ainda ter os resultados refinados com procedimentos de harmonização facial”, completa o profissional.
Os procedimentos de harmonização facial têm sido procurados tanto por mulheres como também por homens. “São basicamente os mesmos procedimentos, com diferenças na angulação da aplicação para homens, que possuem o rosto mais ‘quadrado’. Já as mulheres possuem traços mais delicados”, diferencia.
 
CUIDADOS
Um dos produtos mais utilizados na harmonização facial é o ácido hialurônico. Apesar de ser um produto totalmente biocompatível, que é inclusive produzido pelo próprio corpo humano, é necessário haver muito cuidado e critério para a realização do procedimento.
“As complicações são raras, mas podem ocorrer, assim como em todo procedimento estético. Para casos de deformidades causadas pela aplicação de ácido hialurônico em excesso, por exemplo, podemos realizar a aplicação da enzima hialuronidase, que age degradando a substância, possibilitando a correção dos defeitos que possam ter sido gerados pela aplicação”, detalha.
Contudo há outros riscos, especialmente relacionados à aplicação de preenchedores por profissionais sem o adequado treinamento e conhecimento em anatomia. “Entre os riscos, o mais pronunciado é o da aplicação feita por profissionais não capacitados. Como as regiões são bastante vascularizadas, a aplicação num local errado pode gerar necroses. Na região próxima aos olhos pode provocar até mesmo cegueira permanente. É preciso haver um amplo conhecimento de anatomia, inervações da face, circulação e fisiologia do corpo. O médico é treinado para saber reconhecer os sinais de alerta que surgem no momento da aplicação, exigindo a tomada de providências imediatas para evitar situações irreversíveis. Existem protocolos para seguirmos com a finalidade de minimizar os danos, caso estes ocorram, e solucionar eventuais complicações”.
A harmonização está indicada para todas as idades, sendo recomendadas especialmente para indivíduos a partir da terceira e quarta década de vida para atenuar os sinais do envelhecimento, tornando os sinais da idade mais sutis.




Ademir Viana (CRM 191.593) é médico formado pela Unimar. É residente em Anestesiologia na Santa Casa de Misericórdia de Marília e pós-graduando em Dermatologia Estética pelo ISMD – Instituto Superior de Medicina. Atende na Clínica Roberta Franklin, que fica na Avenida Cristo Rei, 05.
 

Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Telefone
Diretor Comercial
Marcos Flaitt
(14) 99601-3070
E-mail
redacao@revistad.com.br
apoiorevistad@gmail.com
(14) 3221-0780
Siga-nos