Futuros engenheiros da Faculdade Católica visitam obra de tratamento de esgoto de Marília

Grupo foi recepcionado no auditório do Paço Municipal pelo prefeito Daniel Alonso e no local pelo engenheiro da Replan, Adalberto Valente
Um grupo de 15 alunos do curso de Engenharia Civil da Faculdade Católica Paulista, supervisionada pela professora Ana Patrícia Aranha de Castro, visitou na manhã desta segunda-feira, dia 18, a obra da ETE (Estação de Tratamento de Esgoto) da bacia do Pombo, na região oeste da cidade.
 
Antes de irem até o local, os alunos e a professora foram recepcionados pelo prefeito Daniel Alonso no auditório do 2º andar do Paço Municipal, onde receberam todas as orientações técnicas sobre a realização e o funcionamento da obra.
 
Na ETE da bacia do Pombo, o grupo foi recebido pelo engenheiro da Replan, Adalberto Valente, que foi o responsável técnico pela obra, recebendo todas as informações do processo de funcionamento, através do assessor de gabinete, Fábio Conti.
 
A professora Ana Patrícia Aranha de Castro destacou a importância da visita. “Quando a gente entra com um conteúdo em sala de aula e consegue trazer o aluno para a realidade da futura vida profissional dele é extremamente importante. Em sala de aula a gente vê teoria e você conseguir aliar com a prática na engenharia hoje é fundamental. A faculdade é um guia teórico do que o aluno tem que saber para se formar como engenheiro e a prática em ver como funciona é extremamente relevante. Só temos que agradecer à Prefeitura pela oportunidade de mostrar esta grande obra para os nossos alunos.”
 
Ana Patrícia falou também sobre a obra da ETE. “Podemos constatar que a obra foi muito bem executada, com materiais de grande qualidade. Sem dúvida é um grande ganho para a cidade, pois vai melhorar a saúde e a qualidade de vida das pessoas. Era uma demanda antiga de Marília e que agora virou realidade.”
 
A Faculdade Católica Paulista fica na avenida Cristo Rei, 305, no bairro Banzato, na zona leste da cidade.
 
MAIS VISITAS
Outras três visitas à obra da ETE do Pombo já estão agendadas, sempre ocorrendo a partir das 8h30. A próxima visitação acontece na quarta-feira, dia 20, com 30 alunos do Colégio Assembleiano. No dia 25 está confirmada a visita de 30 alunos da Escola Estadual Edson Vianei Alves à obra. E dia 27 será a vez de 30 alunos do CEEJA irem ao local.
 
AS BACIAS
A bacia do Pombo recebe 209 litros por segundo e atende uma população de 47 mil pessoas das zonas Oeste e Norte. Já a Bacia do Barbosa atenderá 85 mil pessoas do Centro e Zona Sul com 231 litros por segundo de esgoto. 
 
Já a bacia do Palmital, que será construída nas proximidades do distrito de Dirceu, vai atender uma população de 109 mil pessoas das zonas Leste e Norte. A nova bacia vai receber por segundo cerca de 270 litros de esgoto e será responsável por tratar os outros 30% do esgoto da cidade.
 
COMO FUNCIONA A ETE
O funcionamento da ETE é dividido em sete etapas:
 
1. Gradeamento - O esgoto que vem das residências contém em média 1% de matéria orgânica e 99% de água. A primeira etapa do tratamento é a retenção de materiais grosseiros, como lixo, em um sistema formado por grades.
 
2. Desarenação - Na caixa de areia mecanizada, é feita a remoção dos sólidos presentes no esgoto, como areia, pedras, e detritos sólidos de pequeno tamanho, que passaram pelo gradeamento.
 
3. Geração de Ar Difuso - Três geradores de ar difuso importados produzem o ar que será injetado nas lagoas de aeração, em alta pressão. O sistema é considerado rápido e eficiente, pois potencializa a proliferação de microrganismos que consumirão a matéria orgânica do esgoto, acelerando o processo biológico devido à utilização do ar difuso. O ar pode atingir uma alta temperatura que pode chegar a 100 graus.
 
4. Lagoas de Aeração - Já sem sólidos visíveis, o esgoto é enviado para o tratamento biológico na lagoa de Aeração. Lá, ele é exposto à ação de microrganismos que promovem a degradação do esgoto e condensam em flocos, a matéria orgânica, que até então estava dissolvida no esgoto. Nesta etapa são feitas verificações das características do esgoto para adequação do processo de tratamento, tais como a quantidade de ar para a flotação das partículas e a separação da água dos flocos resultante desta primeira etapa de tratamento.
 
5. Lagoas de Decantação - Após o tratamento biológico, o líquido resultante do processo é submetido a um processo de decantação. Os flocos formados vão para o fundo das lagoas, separando-se da parte líquida, que já está livre de impurezas. No fundo estes flocos se juntam a outros, formando o lodo.
 
6. Leito de Secagem - O lodo produzido durante o processo de decantação será retirado do fundo das lagoas, desidratado, colocado para secar no leito de secagem e posteriormente será transportado para um aterro sanitário especializado. O material após seco pode ser utilizado em diversas aplicações, desde a construção civil, adubo ou ser descartado em aterro sanitário sem provocar danos ao meio ambiente.
 
7. Devolução do Esgoto Tratado ao Meio Ambiente - O esgoto tratado é devolvido ao meio ambiente com aproximadamente 99% de pureza. Apesar de não ser potável, a água resultante do processo pode ser utilizada como água de reuso para lavagem de vias e praças públicas, irrigação, ou devolvida aos rios e córregos, sem poluir o meio ambiente, pois seu tratamento possibilita esse retorno à natureza sem nenhum tipo de degradação ou dano ambiental.
Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Telefone
Diretor Comercial
Marcos Flaitt
(14) 99601-3070
E-mail
redacao@revistad.com.br
apoiorevistad@gmail.com
(14) 3221-0780
Siga-nos