Fotógrafo mariliense participa da Expo Colective 20\20 em Portugal

Mostra está sendo realizada na cidade de Porto e reúne 13 artistas até o próximo dia 20 de fevereiro
O fotógrafo mariliense Wellington Oliveira dos Santos, conhecido como Índio, está participando da Expo Colective 20\20, na Associação Cultural Jubilant_Relax, cidade do Porto, em Portugal. A mostra segue aberta até 20 de fevereiro.
 
No total são 13 expositores que formam o coletivo de artistas: Mocors, Andre Jundi, Índio, Bisner, Camutue, Elisa Vilela, Féto, Lamesky, Natê, Guerrilha Tropical, Maria Loio, Skola e Igor Almeida. André Jundi e Mocors também são marilienses, que atualmente residem em Portugal.
 
Índio tem cinco fotografias artísticas expostas na Expo Colective 20\20, sendo que em algumas delas contou com a intervenção artística de Felipe Moc, também curador da exposição. As fotos são parte de um trabalho que realiza há mais de 10 anos.
 
A mostra fica do período de 8 de fevereiro a 20 de fevereiro no espaço Jubilant Relax (Av Fernão de Magalhães,619), na cidade do Porto em Portugal.
 
“O Felipe Moc curador da exposição me fez o convite para compor o coletivo com as minhas fotos. De imediato aceitei, até pela nossa amizade de longa data e outros projetos que realizamos juntos”, explica Wellington Índio.
 
“Queremos parabenizar o artista plástico Índio, bem como os demais artistas marilienses, que estão expondo na cidade do Porto em Portugal. Marília revela muitos artistas nas áreas das artes plásticas, fotografia e artes visuais. É um orgulho pra todos nós ver o nome da cidade tão bem representado além dos limites de nosso território”, disse André Gomes Pereira, secretário municipal da Cultura.
 
Para Wellington Índio, essa exposição é um marco de extrema importância para seu crescimento pessoal como fotógrafo.
 
“Na área da fotografia preto e branco é uma realização de um sonho exportar minhas obras em meio às dificuldades de ser fotógrafo e artista independente. Isso faz com que possamos estar sempre a luta dos nossos sonhos objetivos, temos que persistir, por mais simples ou para muitos algo impossível que eles seja, nós temos que acreditar, contando sempre com o apoio dos familiares amigos. Temos que resistir; um dia seremos vistos, lembrados, mesmo que leve anos. Para eu ser conhecido pelo mundo é tão importante quanto ser conhecido pela minha própria cidade, é algo muito difícil de acontecer não só comigo mas com tantos outros artistas que temos espalhados pela cidade”, disse o artista.
 
Ele já participou de um coletivo fotográfico responsável pela curadoria do Festival de Música e Cultura Alternativa Universo Paralello, que acontece na Bahia a cada dois anos.
 
Também trabalhou na mostra “Os Invisíveis”, que conta a história do dia-a-dia de moradores de ruas, artistas, nômades, através da junção de foto e poesias.
 
Além de fotografias artísticas, Índio também faz ensaios fotográficos, fotos de gestantes, aniversários e eventos. Também é artesão e faz trabalhos com artesanatos em arames, sementes, fios, linhas, pedras, couro, e demais matérias-primas.
 
Atualmente expõe e comercializa imagens na Exposição Cultural no Espaço Cultural e de Lazer “Ezequiel Bambini” às quintas- feiras, das 18h30 às 22h junto à Associação dos Artesãos.
 
Contatos :
Facebook /indiofotos
Instagram @indiofotos
Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Telefone
Diretor Comercial
Marcos Flaitt
(14) 99601-3070
E-mail
redacao@revistad.com.br
apoiorevistad@gmail.com
(14) 3221-0780
Siga-nos