Drenagem linfática

Procedimento é aliado para melhorar resultados no pós-operatório
A drenagem linfática é uma grande aliada para as mulheres, especialmente aquelas que buscam correções cirúrgicas.
Sabemos que o sistema linfático funciona paralelamente ao circulatório e é formado por uma grande rede de vasos, distribuídos por todo o corpo, coletando os líquidos dispersos, filtrando e direcionando-os para a circulação sanguínea. Dessa maneira, a drenagem atua com manobras que levam estes líquidos para as estruturas responsáveis por coletá-los.
As manobras que realizo nas pacientes de pós-cirúrgico são inicialmente leves, não as deixando com hematomas, com 10mm de pressão das mãos nos primeiros 15 dias. As pressões feitas na pele direcionam os líquidos da região tratada para as estruturas do sistema linfático, onde serão eliminados através da urina.
 
PARA QUE SERVE A DRENAGEM?
O sistema linfático é uma via acessória de circulação pela qual o líquido pode retornar dos espaços intersticiais para o sangue. Entendemos por drenagem linfática manual a ativação manual da drenagem do líquido intersticial, por meio de fendas microscópicas dos tecidos (canais pré-linfáticos) e da linfa, pelos vasos linfáticos.
O conhecimento dessa técnica requer o entendimento não só de aspectos teóricos do método, mas, antes de tudo, aplicar bem a prática, tão diferente da massagem clássica.
 
CASO EM TRATAMENTO
O início das sessões de drenagem linfática pode ocorrer a partir de três dias após as cirurgias, a critério do cirurgião. Nesse período, é possível inclusive realizar o tratamento na própria casa da cliente, como o serviço de home care.
Neste caso, atualmente com 70 dias de pós-cirurgico, a paciente iniciou a drenagem linfática após 15 dias da cirurgia na região abdominal. Obviamente, se a cliente chega muito depois para a drenagem, com tendência de fibrose, é preciso realizar o movimento de Leduc, com rotação do polegar, o que poderá gerar um pouco de desconforto.
No início do tratamento foi realizado o bombeamento dos linfonodos para preparar o recebimento do líquido intersticial para o sistema linfático. Para isso, incentivamos os linfonodos começando pela região do tronco venoso, subclávia jugular, com movimentos circulares com as pontas dos dedos, realizando o bombeamento de forma lenta e horizontal. O intuito é promover um leve tracionamento do tecido, incentivando a passagem de edema intersticial para o sistema linfático, indo para os linfonodos axilares e realizando o bombeamento também nessa região.
Preparamos também a região dos membros inferiores (coxas, joelhos, pernas e pés). São movimentos simples, com muita efetividade e resultado, com os quais vamos esculpindo o corpo da pessoa, porque realizamos o desenho anatômico do corpo.
Na drenagem manual do abdome, realizamos a localização anatômica dos linfonodos e vias linfáticas, com bombeamento realizando drenagem do púbis até a borda das costelas.
A drenagem da parede abdominal superficial anterior divide-se de acordo com a direção do fluxo linfático em duas regiões, acima e abaixo da linha umbilical, drenando da parte umbilical para os linfonodos axilares.
O tratamento pode ainda associar sessões de ultrassom para potencializar resultados, pois o equipamento permite a diminuição do o edema e a liberação do líquido intersticial, reduzindo a inflamação na região operada.
 
SAIBA MAIS
Para saber mais sobre esses e outros assuntos, visite a clínica na Avenida Nelson Spielmann, 1010. Consulte os serviços de home care. Os telefones de contato são (14) 99762-7401 e 99166-3449.
 
 

Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Telefone
Diretor Comercial
Marcos Flaitt
(14) 99601-3070
E-mail
redacao@revistad.com.br
apoiorevistad@gmail.com
(14) 3221-0780
Siga-nos