Abordagem individualizada da ansiedade

A habilidade de bem prescrever associada à empatia responsável junto ao paciente
Na literatura homeopática existem registradas pelo menos 753 maneiras diferentes de se caracterizar a ansiedade e cerca de 385 medicamentos que podem ser utilizados para sua terapêutica. Mas são incontáveis as formas pelas quais a ansiedade pode se manifestar. Os tratamentos medicamentosos comuns incluem substâncias psicotrópicas que agem diminuindo os sintomas desagradáveis da ansiedade.
Agindo de outra maneira, os medicamentos homeopáticos estimulam reações e estados psíquicos que levam não somente à diminuição dos sintomas, como também ajudam na percepção e posterior eliminação de conteúdos psíquicos anormais.
Mas nada disso é de fato eficiente sem que certos ‘obstáculos à cura’ sejam eliminados. Este termo, utilizado por Samuel Hahnemman (o fundador da homeopatia) faz referência às ações e comportamentos que colocam o paciente em situações de risco - neste caso - para a ansiedade.
Na consulta de rotina, o médico homeopata define o perfil particular, individualizado, de seu paciente. Se for bem sucedido acabará por se deparar não somente com as causas óbvias do sofrimento, mas também com as crenças íntimas, valores, conceitos e preconceitos que acabaram por determinar as tais ações e comportamentos que predispuseram o paciente ao estado ansioso.
Estando capacitado, o bom profissional investirá no sentido de deixar o paciente consciente deste fato. Isto, por si só, estará contribuindo com a posterior ação do medicamento homeopático prescrito, que por sua vez estimulará a percepção e reação do paciente.
Seja estimulando o eixo psico-neuroendócrino-imunitário a rechaçar estados de funcionamento anômalo, seja modulando o metabolismo de neurotransmissores específicos, o medicamento homeopático desempenhará sua função até o ponto em que o chamado ‘livre-arbítrio’ torna-se preponderante.
Submetidos a este livre arbítrio estão ações e comportamentos que tanto podem colocar ou retirar o paciente de um potencial estado de vulnerabilidade. Por isso reforçamos a conveniência e necessidade de que o paciente venha a estar ciente dos elementos íntimos de seu caráter e de sua vontade, que determinam o seu livre arbítrio.
Ainda assim, uma questão permanece: uma vez que seja informado, o paciente sabe superar seu obstáculo à cura? Ou seja: conseguirá ou desejará mudar este quadro?
Em nossa opinião este é o ponto em que a individualização do tratamento faz toda a diferença, na medida em que considera a ansiedade não somente uma entidade nosológica distinta, que possa ser debelada com medidas protocolares medicamentosas, mas principalmente um sintoma que fala do indivíduo em si, este sim, o verdadeiro doente.
Nossa experiência clínica individual vem mostrando que a habilidade de bem prescrever homeopaticamente associada à empatia responsável junto ao paciente, quando secundadas pela capacidade de entender o verdadeiro doente no processo ansioso, que é o paciente como pessoa única, o conduz mais satisfatoriamente à superação do sofrimento. E temos conseguido isto não somente combatendo uma entidade nosológica, mas principalmente ensinando o paciente a se superar.

SAIBA MAIS 
Alexandre Eduardo W. U. F. Perez
(CRM: 86.576) é médico especialista em homeopatia pelo Instituto Homeopático François Lamasson e titulado pela Associação Médica Brasileira e Associação Médica Homeopática Brasileira. Atende na Clínica Anima e Soma, que fica na Avenida Cascata, 111. Telefone: (14) 3316-2003
 

Compartilhe!
Deixe seu comentário

Veja
Também

Telefone
Diretor Comercial
Marcos Flaitt
(14) 99601-3070
E-mail
redacao@revistad.com.br
apoiorevistad@gmail.com
(14) 3221-0780
Siga-nos